"Ciclo da Vida"

 
 
 
É difícil dizer alguma coisa que valha a quem perdeu alguém a quem muito se quis… muito se amou!

Perder uma mãe, um pai, o marido ou a esposa…perder um filho!...

Nós sabemos, desde que nos conhecemos, que a vida não é eterna… e que, um dia, indeterminado, temos de fazer a “viagem sem regresso”.

Mas uma coisa é sabermos isto e outra, bem diferente, é aceitá-la na altura em que acontece.

Saber – é concordar com a razão, fria, dos acontecimentos.

Aceitar  – já não está ao alcance da vontade, porque é o sentimento que protesta. É a dor que se impõe.

E não há palavras, por mais amigas, que nos convençam.

Só se dá o real valor á perda de um ente querido quando esse acontecimento se processa connosco.

È uma situação muito difícil, impossível de definir e de explicar. Forma-se um vazio terrível, incomensurável - que só o tempo, vai diluindo…

É quando uns partem, outros, entretanto já nasceram, para não estarmos sós.

É ciclo da vida que incessantemente se repete…

 

 

Autor: Cândido Nicola - 1999

Editado por: nicoladavid

Não esqueça de ligar o som.
Comments