"Boémia Triste"

´
Éramos três em torno à mesa. Três que a vida,
Na sua trama de ilusões urdida,
Juntou ao mesmo afecto e na mesma viuvez...
Um músico , um pintor, e um poeta. Éramos três...
O primeiro falou: - Veio da melodia
De um nocturno, a mulher que me fez triste assim.
Amei-a como se ama a fantasia
E ela sendo mulher fugiu de mim...
Hoje tenho a alma como um piano vivo
Que mão nenhuma acordará talvez...
É por esse motivo que eu sou mais desgraçado que vocês...
Disse o segundo: - Meu amigos, a sorte golpeou-nos, com a mais vil ingratidão
À mim levou-me à morte, o que eu tinha de melhor
A ilusão de que a vida era ilusão.
A força, a graça, o espírito, a beleza
A estátua humana olímpica e pagã
Espelho, natural da natureza
Nota da flauta mágica de Pan
Morreu com ela a vida, a luz, a cor
Manhã de sol e tarde de ametista
A paleta e a esperança de um pintor...
Todo o delírio de um impressionista.
Fez-se um grande silêncio em torno à mesa,
Silêncio de saudade e tristeza...
O terceiro baixou os olhos devagar
Disse um nome baixinho e não pode falar...

 

Autor: Olegário Mariano
Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.
 
Comments