Livros e pensamentos eram meus

Livros e um novelo colorido de pensamentos eram meus;

E palavras mágicas estavam amadurecendo na minha alma

Até que sua música tão sussurrada transformou um vinho

Cujo poder mais sutil estava todo sob meu controle.

 

Essas coisas eram minhas e eram reais para mim

Como lábios e olhos queridos e um peito quente:

Pois eu poderia amar uma frase, uma melodia,

Como uma mulher justa, adorada e possuída.

 

Eu desprezei todo o fogo que fora dos olhos

Poderia acender paixão; desprezado, ainda estava com                                                                               [medo;

Temido, e ainda invejava os mais profundamente sábios

Quem viu a terra brilhante acenar e obedecer.

 

Mas chegou um momento em que, ficando cheio de ódio

E cansaço dos meus temas lembrados,

Eu queria que o cachimbo do meu poeta pudesse modular

Beleza mais palpável que palavras e sonhos.

 

Toda a beleza com que um ato informa

O caos incerto e obscuro do desejo

Hoje é meu; me toca, aquece

Corpo e espírito com seu fogo externo.

 

Não sou mais meu: tornei-me parte

Daquela grande terra que respira e mexe

Para conhecer a primavera. Mas eu poderia desejar meu                                                                             [coração

Ainda havia um inverno de fofocas geladas.



Autor: Aldous Huxley(1894-1963)
Editado por: nicoladavid