"A Caminho do Cais"


Pátria minha, que apostasias,
que desertas a ti mesma e dás,
como lesma ao bico voraz,
teu corpo cheio de harmonias,

tua alma jovem... Quantos dias,
quantos anos desolados vais
alimentar os teus chacais
com a carne dos filhos que crias

e abandonas à desesperança!
Vou deixar-te para não te ver
atravancar o amanhecer

com balbúrdias e carnificinas,
a tragédia que desde criança
vi-te amontoar nas esquinas.

 

Autor: A. Bruno Tolentino  (1940-2010)
Editado por: nicoladavid


Comments